Uma noite para esquecer

Lara Brandon é uma jovem de San Diego dos Estados Unidos e está completamente apaixonada por Brian Lincoln um rapaz que seu pai não aceita para ser seu genro. Para viver seu romance ela decide fugir com o seu namorado para uma pacata cidade no México, Tijuana, mas seus sonhos serão despedaçados. Será que Lara suportará toda a humilhação?

CAPÍTULO 01

Lara Brandon completava dezoito anos naquela primavera, e o pensamento estava em seu namorado, como ele era lindo alto, loiro com o cabelo caído aos ombros, braços músculos e viril, nossa como ele era viril; além de ser imensamente lindo era possuidor de um caráter irrefutável, como o admirava, estava contando os minutos para encontrá-lo, eles haviam combinados de encontrar nos fundos da loja, pois seus pais não aceitavam o namoro.

            Lara era perfeita, afinal ela era a queridinha do pai, seu pai William Brandon fazia todas as suas vontades, mas Lara não conseguia entender porque seu pai não gostava do Brian e sempre dizia que era um interesseiro, aproveitador e que jamais o aprovaria.

            Brian pediu seu melhor amigo o Jonas para ir com ele nos fundos da loja, pois tinha marcado com Lara ali e não podiam ser pegos juntos.

            _ Jonas vem comigo e fica de olho no movimento, por que se a D. Alice nos ver ela vai correndo contar para o Sr.

Willian.

            _ Claro, vou sim, mas tenha cuidado esse namoro ainda vai te meter em problemas.

            _ Você vai ver ela vai ficar comigo de um jeito ou de outro.

            Lara segue apressada por um beco que dar aos fundos da loja que seu amado trabalha, ela o ver e pensa ‘como meu pai pode pensar mal dele’.

            Ele a observa, linda, cabelos loiros longos, olhos verdes, unhas bem feitas, as roupas da mais fina grife, mas e ele, o que ele era? Seus olhos queimaram de ódio e tristeza.

Ela correu para seus braços, e beijaram calorosamente, ele perguntou se foi difícil pra ela estar ali, mas ela disse que sempre consegue o que quer.

            Brian encostou ela firme contra a parede, seu vestido vermelho colado ao corpo deixava um decote bem avantajado, ele segurou firme seu cabelo com a mão esquerda puxando-o para trás e com a mão direita apertou forte seu peito e abaixou dando leves mordidas em seu pescoço, ela sentiu a perna tremer ao notar a virilidade do seu amado que a apertava com força como se fosse a consumir ali de uma maneira selvagem.

            Seus corpos colados, ela absorvendo esses desejos que até então era novos pra ela, foi aí que ela lembrou que o amigo dele estava vigiando, ela empurrou-o com a mão, nesse momento ele a segurou mais forte.

            _ Pare!!

            _O que? Você acha que não sou bom o suficiente pra você?

            _Brian, não é isso. O seu amigo está vigiando.

_ Eu acho que você pensa igual a seu pai.

            _Olha eu vou embora, depois nós conversamos.

            Como entender as mudanças de humor dele, num momento todo feliz por estar comigo, rapidamente já fica na defensiva, como se eu fosse culpada por ter dinheiro. Mas logo pensei, ele só está pensando que não é digno de ficar comigo. O que prova que ele não está comigo por dinheiro.

            Chegando em casa, entrei pelo portão que foi aberto pelo porteiro, para chegar em casa tenho que caminhar por uma entrada que é feita com várias palmeiras de um lado quanto do outro.

            Entrei na enorme sala, um silêncio que me deixava angustiada. Comecei a subir a escada quando escutei uma voz me chamar.

_ Onde você estava?

_ Oi mãe, eu estava na casa de Paula fazendo um trabalho da escola.

Por que você não avisou? Seu pai disse que quer conversar com você hoje à noite.

            _Porque o trabalho é para amanhã e eu esqueci completamente. O que o pai quer?

            _Só mais tarde você vai saber.  

            Enchi minha banheira, pensando no que meu pai queria. Após o banho, vesti um vestido floral, amarrei o cabelo, dei uns apertões nas bochechas para ganhar um pouco de cor, pois sabia do que se tratava a conversa.

             Sentei-me a mesa, meu pai olhou-me de cima a baixo e perguntou como foi o trabalho.

Não sabia o que responder, aliás com certeza meu pai devia ter perguntado ao pai da Paula, afinal eles eram velhos amigos. Mas respirei fundo e com ar super natural disse que deu tudo certo.

            Ele consentiu com a cabeça e não disse mais nada. Após que todos se retiraram da mesa ele disse:

            _Lara, venha comigo ao escritório.

_ Sim.

            Segui-o até o escritório, fechei a porta e esperei ansiosa em pé ao lado da cadeira, meu coração estava tão acelerado que parecia que havia corrido uma maratona.

            O escritório era aconchegante, com uma enorme mesa ao centro estilo bem rústico feito de madeira maciça, somente alguns papéis sobre a mesa, afinal o Sr. Willian era muito organizado, não era à toa que se tornou um dos mais ricos no ramo dos negócios de exportação.

            Na parede algumas obras de arte tornavam o local mais clássico e um tanto formal, aquele era o local da casa onde meu pai tratava de qualquer problema.

            Ele deu a volta à mesa, sentou-se, pegou a caneta e ficou girando entre os dedos me olhando. Eu fiquei parada, imóvel, naquele momento parecia que meu ar havia fugido dos pulmões e ido direto para minha cabeça. Sentir o mundo girar, mas procurei manter neutra para que não percebesse quanto angustiada eu estava.

            Então ele me olhou e disse:

_Acho bom você sentar-se.

            Sentei-me, calada, só balancei a cabeça. Meu pai era muito ágil com as palavras e com ele não tinha rodeios. Começou direto ao ponto.

            _ Sei que hoje você encontrou-se com seu namorado, se é que podemos dizer desta forma. Pois bem hoje foi a última vez que você encontrou com ele.

            _Eu não entendo por que você se opõe.

            _ Você ainda é muito jovem para ver o que é óbvio.

            Fiquei furiosa, meu pai nem sabia quem ele era pra falar daquela forma, tá certo que o Brian era um pouco mais velho que eu, mas daí estar me usando aí já é demais.

            _ O que é o óbvio?

            _Meu Deus!! Tá claro que ele está com você só pelo nosso dinheiro, andei investigando-o.

            Aquilo foi o bastante para mim, eu amava o meu pai, mas agora ele foi longe demais, o Brian que eu conheço não é assim. Ele nunca me pediu nada, nem se quer nunca me deixou pagar uma conta.

            Levantei bruscamente, coloquei as mãos sobre a mesa, olhei fixamente nos olhos do meu pai e disse-lhe:

            _Pelo o que eu estou vendo, é o senhor que está pensando em dinheiro e pior esquecendo-se da minha felicidade.

            _ Lara…

            Fiquei furiosa, mas também contente por ter tido coragem de lutar pelo meu amor, mas tinha que manter a minha postura para meu pai não perceber que eu estava morrendo de medo.

            E antes que ele continuasse e fizesse-me perder a máscara que eu havia acabado de colocar, eu acrescentei rapidamente:

            _Eu não vou deixar o Brian. Eu amo-o mais que tudo.

            Antes que ele respondesse, gritei de novo que não o deixaria e sair correndo para o meu quarto.

                 Fechei a porta com toda força que possuía, pulei em cima da cama, de barriga para cima e coloquei o travesseiro em cima do meu rosto com tanta raiva que o mordia.

            Mas o que eu poderia fazer, meu pai era muito bom, mas se o desafiasse, ele fazia tudo ao seu alcance para conseguir a sua vitória. Ele era capaz de fazer o Brian perder o emprego e pior poderia garantir que ninguém o ajudasse. Não. Eu tinha que fazer alguma coisa.

            Peguei o telefone e liguei pra ele, mas não me atendeu. Dei um tempo talvez neste momento ele estivesse muito ocupado. Depois de umas horas de angústia, puxões de cabelo, tornei ligar. Ele me atendeu.

            _Oi meu amor!! Que bom que você ligou, eu estava ocupado mais cedo, por isso não atendi a sua ligação. Agora sou todo seu.

            Aquela última frase me deixou maravilhada, mas fui logo ao ponto.

            _Estamos com problema, meu pai não quer que ficamos juntos.

Ele ficou em silêncio por um momento e depois perguntou:

_E você?

_ É claro que quero ficar com você, mas tenho medo.

Ele então me disse que as 7 nos conversaríamos. Fiquei ansiosa pela ligação, e ainda era 6:30 da noite.

Tomei um banho, lavei meu cabelo, vesti um vestido solto que ficava acima dos meus joelhos, e como de costume sempre após o banho da noite eu não coloco calcinha.

A noite estava linda, fui até a varanda do meu quarto, e fiquei admirando a lua, e imaginando o que seria de mim, logo agora que encontrei um homem sério, bonito e que gosta de mim de verdade meu pai não aprovava.

Viro-me para entrar no meu quarto, quando sinto algo na minha cintura, dei um salto para frente e quando fui gritar minha boca foi tapada, me virei devagar e vi o Brian ali na minha frente. E antes que eu pudesse organizar meus pensamentos ele cobriu minha boca com seus lábios, foi um beijo quente e intenso, ele foi me levando para a…


1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s